Explore
Sign Up
Login

Natália Parreiras

PO# 9000
Brazil
Brazil
Uma utopista. www.nataliaparreiras.com/spn
April 9, 2020
 

NÃO À VAGA

Hoje
Eu compreendi
Que não há
Quem possa
Ou se atreva a ocupar
O teu lugar:

Nem “tu”.

Thumb_letter_signature_1586412482
GREEN AND YELLOW SWIRL
0
0
April 9, 2020
 

PRINCÍPIO  ATIVO

Em cada barco
Que aportas
Em tuas rotas de fuga
E saída pelos fundos,
Sempre haverá um náufrago
E uma chance de ser resgatado
Com vida.

Em cada poema
Abarco
O sal e o ácido
Das despedidas...

O mar revolto
Não me envolve
Não me demove
Nem me sacia...

E se eu bebo de ti
Não é por sede
Nem por cair na rede,
Mas por nascer da correnteza
Autêntica e viva:

Ou me toma e carrega plena
Ou me abandona
À própria sorte dos gorjeios   
E sortilégios das aves
De Ravenna:
sem iniciativa.

Thumb_letter_signature_1586412228
ANGEL OF AMOR
0
0
April 9, 2020
 

POEMA (des) MONTARIA

Eu evoco agora
Toda a intuição
E clarividência
Para desanuviar os céus
Dos meus dias e noites
De dormência extrema

Eu evoco
O puro e zombeteiro
Espírito das crianças
A inocência mais crua
De qualquer errância
Para enternecer os espelhos,
Os enfermos
E os olhos dos que cansam
De esperar esperanças

Então
Eu os embalo em meus braços
Com o esteio frágil do silêncio
Que atravessa cada tempo monocromático
E me desfaço
Em cores de Vênus.

Se me vês
Faz de mim um poema
- Ainda que como contingente de quarentena -
Desses de decorar
As paredes do estábulo
Enquanto o amor me faz de cavalo
Só pra duvidar do status
Que tu insistes em manter.

Thumb_letter_signature_1586410467
COMING CLOSER
0
0
April 8, 2020
 

SOMBRA NA JANELA

Hoje
A poesia
Aquietou-se...

Não era medo
Cansaço
Ou silêncio

Era só a cadência do tempo
Esvaziando os verbos
Para caber no desejo.

Thumb_letter_signature_1586325458
ELEGANCE
0
0
April 5, 2020
 

AMAR É ELO

Não suporto mais
Ler palavras e não saber de quem são
E acredite,
Não é falta de bem-querer.

Desejo que a sua vida se revele cada vez mais parecida com os sonhos que guarda aí dentro, que toda tormenta deixe sua lição e passe, sem tirar o brilho dos teus olhos, nem o sorriso mais honesto do teu rosto;

Desejo que você consiga ser justo com você mesmo e discordar dos seus sem a paixão dos traumas e da guerra, mas com a firmeza que só a maturidade mais serena oferta;

Desejo que você desperte todos os dias conscientemente grato por cada dia difícil vencido e por ter na arte a cura para todos os males, estragos e vícios;

Desejo te ver estudando como deseja, fermentando sua in...

BHAVYA SINHA
0
0
April 4, 2020
 

FOGO NA ÁGUA

A melhor maneira
De lidar com o risco
De ser contaminada
É não ver
Nem ser vista:

Isolar-se de tudo
E de cada área de contato
- Ainda que abstrato -

Não há nada de novo
Sob o sol dos estragos
Além das águas-vivas.

Thumb_letter_signature_1586032567
SIMPLICITY DAY
0
0
April 4, 2020
 

SER_TÃO MISERÁVEL
 
"O amor de Roma
ruma uma a uma
mas não arruma cada rua da amargura
a que se soma"
 
Cabe in nóis as veste
os freio
os fumo
as forca
as peste
            os prumo.
 
Se oprimo o sarto
sarta fora,
Assarta e sarta
Sartá e bom
Bom é sartá
inda quem num sarta
ou assarta
jamais sortará o sertão
 
Sertão primido
primarta
pois marta
e már tá a terra
aterra a arma
e arma a arma...
 
parma, só tem parma
e os outo bate parma...
pa má coieita
 
corre, eita
Seca dura
Cê cá dura?
 
Pá num vê as terra dura
nim as ferradura
que num dura num coice de animár.
 
Nim mar
nim agua
nim sar aguado
nim gado
agardo,
lagardo
me perdo mai ninguém num perdoa
das boa, mió é a garoa
minóca das boa pra ...

SIMPLICITY DAY
0
0
July 14, 2013
 

FÁBULA ÀS MIGALHAS

Luzes são fonemas distorcidos
Pelo reflexo dos olhos.

Acende a tua fala
E palpita o meu peito
Na velocidade do som
Que assalta o pronome.

Ouve bem dentro dos teus termos
A eloqüência enumerada
Dos meus motivos
Ouve bem dentro da fome
A saciedade serena
De quem mira ao fim de um precipício.

Eu salto
Eu solto
Os braços e reconstruo
De vultos o mesmo muro
Meu casulo sem fim
Meu pesadelo carmim
Meu ócio em fruto.

Eu solto dos teus braços
Sem ver a quem
E voo.

Se for pra voltar
Então recue
Repercuta o adeus
E enfim
Se desespere.

Entregue tuas lágrimas
Ao sem apelo do silêncio
Passeie por cada palavra
Que deixei pra ti
Como migalhas perecíveis
E não passíveis
de tempo.
...

SIMPLICITY DAY
0
0
April 3, 2020
 

A DESERTAR NO DESERTO

Shhhhh!

Deixa a água levar
As marcas dos pés na areia

A onda já apagou a centelha:

É questão de tempo
Até a maré avançar
Engolindo pra dentro do Mar
Todo canto desse lugar
Onde já foi beira.

Agora não adianta nada
Olhar pra trás
Nem insistir na foz
Que se perdeu no “mas”
Até secar inteira...

Vê,
Nem a poesia que se faz
Tem algo a ver com nós
Mas com o que não fomos
A sós

E o que perdeu-se
Apenas.

Thumb_letter_signature_1585944188
WORD ART
0
0
April 3, 2020
 

AVANTE

Não há boa lembrança
Que hoje valha
O meu futuro.

Thumb_letter_signature_1585891924
TINY QUEEN
0
0
April 2, 2020
 

DEUS INFINITO

Baby,
Esquece o jornal
E vira notícia nos meus olhos

Se joga nos meus braços
Tal a flor de lótus
Que flutua na lama dos inócuos
E floresce

Tem coragem de ouvir a manhã
Que sussurra larga em teus ouvidos
E te encolhe comigo
Nos lençóis amassados
E nos traçados do destino
Outrora perdido em blocos
De nota
E de Morfeu - sem morfina.

Baby
Águas passadas não movem moinhos
Mas ensinam sobre poças enlameadas
E almas que resistem à própria jornada
A ponto de criarem um vírus mortífero...

Baby
Te acalma:
Tudo o que não tem alma
Não me atinge:

Eu sou a sobrevivência íntima
Do que é íntegro:

Eu sou apenas
O que haverá de ser,
No tempo recriado pelo infinito.

...

SIMPLICITY DAY
0
0
April 1, 2020
 

HÁ BREU

Senta aqui
E repara
No luzir encantado
Que serpenteia a mata
E no que queima
O veludo do céu.

Respira o cheiro das águas  
E abraça o medo da alma
Com dons de explorador
Que renasceu.

Acende uma fogueira
Pequena
Com dois gravetos
De lenha
E recosta tua cabeça
No meu ombro de tigresa
Sem rodeio e sem adeus.

Então fecha os olhos
E me beija,

Deixa só a lua cheia
Iluminar o nosso breu.

Thumb_letter_signature_1585770761
BHAVYA SINHA
0
0
March 30, 2015
Rio de Janeiro, Brasil

ENSAIO SOBRE A VIDÊNCIA
O poder do poeta e a "contravenção"  da liberdade.

"O único sentido íntimo das cousas
É elas não terem sentido íntimo nenhum.”.
(Alberto Caeiro)

Abri mão da prosa como quem aceita e reconhece o caráter predominante do imediato-sintético, adornando tal percepção em linguagem: meus poemas.

Um sentimento de eureca me tomava de modo totalmente inconsciente. Se as paragens que constituem a vida são sempre tão passageiras e terminais, como não internalizar tal noção temporal e imprimi-la à atividade mais orgânica que me move?

A poesia distorce bens perecíveis ao comprimi-los em vastas escolhas semânticas: cada verso tem o poder devastador de súbita paixão subtraída, rou...

MYSTERIOUS DOOR
0
1
March 31, 2020
 

TUDO BEM NÃO ESTAR BEM

Criar consciência
É uma escolha
Das mais dolorosas...

Sim,
O despertar é progressivo,
E uma vez que criamos coragem
Para olhar para a realidade
De nossos apegos
E o quanto nos destroem
Por nossa pura responsabilidade
Não conseguimos mais retroceder:

Não podemos mais ouvir
Aquela voz do irreparável:
Sabemos que sempre será convertida em veneno.

Não conseguimos consentir
O golpe
Porque já o prevemos
Com uma exatidão aguda
E sabemos o punho que o opera.

Quando a gente desperta
A terra gira
Incansavelmente  
E nos mostra todo o percurso
Feito  
Até o presente destino:

Caímos e sabemos
Que iremos cair de novo...

Mas não pelos velhos motivos.

Thumb_letter_signature_1585686848
ANGEL OF UNDERSTANDING
0
0
March 30, 2020
 

SOBRE REVER RASCUNHOS

Decidir deixá-los
Às margens
Do inacabado
É uma opção de maturidade

Mas, acima de tudo,
Um sinal
De que não há mais nada
A ser dito.

Todos os poemas valem a caneta...

Alguns, ficam melhores
Como se nunca tivessem existido.

Thumb_letter_signature_1585627963
WORD ART
0
0
September 19, 2018
 

POEMA EM “SI”
PARA O ÚLTIMO “SOL”

Hoje eu me dei conta
De que nunca senti o teu abraço
Uma vez sequer
Desarmado.

Sim, peito semi-aberto,
Coração disparado
Mas os músculos sempre em embaraço...

E ainda assim, meu amor,  
É tudo tão vasto…

Fico imaginando
Menina sonhadora
A girar no carrossel de ilusões
- E de aço -
Como seria,
Posto que acreditar no será
Tem sido impossível,
Se um dia me abraçasses inteiro,
Sem a hesitação de um corpo em febre,
Mas que tenta em tudo, ser frio,
Feito barreira de contenção no estio
Quando tua alma desaba em intempérie.

Hoje eu me dei conta
De que nunca conheci
O teu beijo verdadeiro,
Ainda que os teus lábios lindos
Me devorem a alma e o ...

LEFT OR RIGHT
0
0
March 30, 2020
 

A COR DA CORAGEM É SERENA

As palavras
Só ganham sentido
Quando significam

E só significam
O que fomos capazes de sentir.

Não há distorção que forje
Quem somos
E fomos
De corpo e alma...

E quem teve de nós
- Tudo -
No fundo,
Sabe a resposta.

Thumb_letter_signature_1585579558
STARS
0
0
March 29, 2020
 

ASTRONAUTA - VAGALUME

Eu soube
Desde a primeira vez
Em que você me olhou.

Não era um olhar
Como os que eu costumava receber:

Ainda não tinha referência
Não tinha respeito
Mas tinha tentáculos.

Sua retinas me chuparam
Como se só de me olhar
Você pudesse mastigar o meu juízo
E morder cada parte de mim.

Sim, você poderia me devorar

Mas eu seria capaz de te engolir...

Não de tolerar,
Mas de metabolizar
Ruminar
Deixar decantar
Ou pra variar,
Cantar pra subir.

Mas o que subiu foi a minha aposta:
Cada vez em que te via
Eu sentia quase uma saudade
Daquilo que sequer eu sabia
Que poderia sentir,
Mas que eu já conhecia.

Eu soube
Desde a primeira vez
Em que me olhou
Mas nã...

SATURN
1
0
March 28, 2020
 

VOLUME DE VOZ

Eu quis
Desesperadamente
Te mostrar...

Esqueci que cada um
Só vê o que suporta

Então
Para te poupar
Tentei acostumar o meu olhar
À destruição de balas de fuzil

E,
- Ainda assim -
Você fugiu.

Não posso ousar lamentar
A cadência de uma vida,

Seja porque não corresponde aos tempos da minha
Seja porque não correspondo aos desígnios que tinha...

O fato
É que a tua tirania
Tirou de ti
O timbre da poesia
Que embalava o sono Enquanto eu dormia...

E sem mais
Sempre com menos,  
Fui amanhecendo sozinha,
Os braços fatigados a acolher
Travesseiros...

Eu fui atravessando os teus silêncios
Até compreender que a voz que não se assume
Se some,

E eu sou soma...

Nada
N...

DEEP LOVE
1
0
March 27, 2020
 

SÍNDROME DE ESTOCOLMO

O amor está preso:

Ficou retido
Na fronteira do impossível

O amor sequer pode ser ouvido

O amor se espatifou em tanta contingência

Que enfim encontrou o contido...

O amor está preso:
Então eu me livro.

Thumb_letter_signature_1585520194
TEA TIME!
1
0
March 27, 2020
 

O AMOR NÃO É PRÉ-MOLDADO

Tudo se repete,
Tudo sempre se repete...

Nada nunca se repete:
Quem se repete
Somos nós.

Quero errar outros erros
Tentar acertar novos acertos

A vida é muito rara
Para olhar o mundo
Sempre pela mesma janela
- que nem ao menos se percebe efêmera -
E apenas permanece
Pétrea.

Sim, o vento soprou a cortina
Bagunçou os papéis da sala
Bateu a porta dos quartos
Tirou os móveis de lugar...

Mas a janela insiste
Em se enquadrar.

Thumb_letter_signature_1585520117
MYSTERIOUS DOOR
1
0
March 28, 2020
 

DESCOMPRESSÃO

Tenho escrito
Poemas curtos
Porque estreita é a passagem
Por entre a parede e a pele
De tijolos surdos

.

Thumb_letter_signature_1585372798
INTROVERTS WEEK
0
0
March 28, 2020
 

PONTO CEGO

A vida tem uma forma
Engraçada
De ensinar sobre a tristeza...

Mas só do ponto de vista
De quem não viu
- não de quem vivia -

Thumb_letter_signature_1585372281
GABRIELLE
0
1
March 28, 2020
 

DESÍGNIO

Eu queria
Acreditar...

Não sentir.  

Thumb_letter_signature_1585371486
BHAVYA SINHA
0
0
March 27, 2020
 

SOBRE A LEVEZA ESSENCIAL

De tanto ver cada pedrinha
Quicar na água
E afundar ligeiro,
Percebi que toda densidade
Se perde
Na imensidão.

Então assisto
Ao tímido movimento
Do rio
Que não se abala
Nem com desfiladeiro

E volto ao meu estado límpido
De ver céu no chão.

Thumb_letter_signature_1585290679
BHAVYA SINHA
0
1
March 25, 2020
 

A FALA DOS ESPELHOS

Se escrevo para alguém?
Sim...
Antes de tudo,
Pra mim.

Minha poesia
É o quarto escuro
Onde desvelo as faces da minha alma,
Sua falta de jeito para expressões coreografadas
E olhares sem combustão.

Não existe revelação automática:
É preciso manejar o papel
Com calma
E deixar a água agir
Para só então estender as lâminas tácitas
Com delicadeza de procissão.

Ah!
Mas para entendê-las
O processo é bem outro:

É preciso observar
O contorno
Por entre sombras e ruídos
Que desenha o poema oculto No olhar luminoso
Outrora contido.

Se para capturar poesia
É preciso luz de contratempo,
Para revelar o poema
Luz demais
Inviabiliza o experimento.

É no quarto es...

ISHAAN ADITYA
0
0
March 25, 2020
 

SOBRE IDAS NUNCA VINDAS

Vá em paz.

Thumb_letter_signature_1585140410
MOVEMENT
0
0
March 25, 2020
 

POEMA PRÁTICO

Melhor assim.

Thumb_letter_signature_1585107418
TAIBA BILAL
0
0
March 24, 2020
 

PRÁXIS

Quando mais o tempo passa
Menos uso frases de efeito
E mais vivo cada uma das fases
Com efeito.

Thumb_letter_signature_1585080486
WORD ART
0
0
March 23, 2020
 

AUTO DE REMISSÃO

Mesmo que pareça
Que meu inconsciente insista na “doença”,
- Que fique claro -
Não quero mais nada de ti,
Nem em verso,
Nem em ideário.

Mesmo que minha memória me traia,
Que minhas escolhas vez ou outra
Pareçam ainda falar das tuas falhas,
Eu te garanto que tudo é mero efeito
Inevitável
Do regredir firme e digno
Desse tóxico sentimento tísico.

Não, eu não me divido
Eu não aceito restos, farelos
Tampouco submeto-me a um elo
Que já se provou mero divertimento
Para o teu ego de zombeteiro.

Se meu poema falar a ti
Ouve:
Pouco a pouco
Te amo menos.

Se meu olhar parecer olhar pra ti
Olha bem:
Pouco a pouco
Te vejo menos.

Se uma música te tocar
E  fizer lembrar
Da...

ANGEL OF AMOR
0
0