Explore
Sign Up
Login

Vanessa Cardui

PO# 496741
Portugal
Portugal
www.porborboletrasdecardui.wordpress.com/
December 4, 2018
Mealhada, Portugal

Trouxe de lá uma ganesha. Trouxe uma ganesha cravada em mim, e foi de lá que a trouxe... de Bali. A ilha dos amores, a ilha dos deuses, perfeita como a pureza da humildade daquele incrível povo. Trouxe um bloqueio na minha perna esquerda, a do lado do coração, para que assim todos os obstáculos que possam surgir sejam imediatamente bloqueados. Pode ser pequena, a minha perna, mas sempre teve força... agora tem a força de um elefante! Mas este é diferente, é ainda mais sagrado! É a ganesha ! A ganesha que tanto simboliza e tanto me ensinou a receber os maiores lemas que devemos ter sempre na vida: - pensar em grande é melhor ; concentração através do nosso olhar; aprender a falar menos e a ouv...

BE BRAVE
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
December 3, 2018
Mealhada, Portugal

Veneno. Não daquele que se procura mas daquele que se encontra sem darmos por ela. O veneno anda por aí, cravado na sociedade e na mente das pessoas que vivem num mundo tenebroso e cada vez mais impiedoso! O veneno que se encontra por detrás de coisas bonitas, coisas que parecem reais; mas ou não são e provocam alucinações, ou são e passam a realidades duras e penosas. Coisas que até eram ou pareciam bonitas e vamos a ver e estavam cravadas de veneno! E até podemos não ter apanhado intoxicação por termos carne de cão, mas há sempre aquele dia em que o veneno intoxica tanto ou tão pouco que a salvação é livrares-te do mal... ámen

Vanessa Cardui

BE BRAVE
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
December 2, 2018
São Martinho do Bispo, Portugal

Metade de mim. Metade da minha pessoa, pequenina e espevitada, calejada de repisada na vida e, por isso, determinada e obstinada nas decisões. Precipitação de pensamento? Muito! Precipitação em acções não é exequível, para mim! Logo não há decisão que não seja apenas e só em nosso prol. Todas as nossas decisões em nosso prol. Todas as decisões valem a nossa vida, mas às metades. Cabe-nos a nós desperdiçá-las ou não..e é das metades que se fazem as inteiras e é pelas inteiras que a vida vale a pena. E se nós somos metade, a outra metade é a nossa vida.. ora bem!

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1543712451
THE BEST IS YET TO COME
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
December 1, 2018
São Martinho do Bispo, Portugal

Queria parar o tempo
Mas não parado
Que continuasse a andar
Mas estagnado
Dos momentos que se eternizam
Dos momentos lindos e felizes
Das mãos entrelaçadas até ao pôr-do-sol
Dos carinhos impagáveis e quase transcendentes
Nada nesta vida é como queremos
Mas nós somos
Somos o que ambos pretendemos
E muito mais
Somos unos
Capazes de mudar o mundo
Sem que ele se mexa
Sem que o tempo pare
E ande na mesma
Mas que pare só para nós

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1543703304
THE BEST IS YET TO COME
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
December 1, 2018
São Martinho do Bispo, Portugal

O nosso lar é dentro de nós, não pode ser em mais qualquer um outro lugar que não seja dentro de nós. O nosso lugar é cá dentro. O lugar de cada um é sempre dentro de cada um e é dentro de cada um que encontramos o nosso lar, o nosso verdadeiro lar, o nosso verdadeiro eu, a nossa verdadeira morada, a nossa identidade, a nossa casa. Nós somos a nossa casa. Se não fossemos, que seria de nós?! Quem seríamos, então, nós, para viver? Com que legitimidade viveríamos? Estranha dicotomia, difícil aceitação ... mas o lar mora cá dentro e não é com empréstimos, nem remodelações que os alicerces se sustentam, mas com aquilo que há para dar...e o que está cá dentro conta muito mais do que o que está lá f...

THE BEST IS YET TO COME
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
November 30, 2018
Mealhada, Portugal

Noites escuras
Corpos deambulantes
Ruas frias
Caminhos que brilham
Já é Natal pelas ruas
Mas não cá dentro
Não o encontro
Fora das ruas
Dos caminhos que ma guiam
O Natal ainda não mora cá dentro
Respeito o Natal e lamento
Vou sozinho por aí fora
A ver se me aguento
E diga com veemência
O Natal já cá mora

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1543541672
THE BEST IS YET TO COME
Thumb_1482720584
PO#496741
3
0
November 28, 2018
Mealhada, Portugal

Conta-me. Conta-me como foi aquele dia em que te compunhas para mim, para um dia sem fim. Conta-me como sentiste o teu coração acelerado de pensar que algo  pudesse estar mal engomado. Nesse dia não houve nem podiam haver gelhas.A expectativa era tudo estar perfeito e o resultado foi de encontro à expectativa. Mas que bela expectativa! Mas que belo sonho tornado realidade! Mas que cumplicidade a nossa que nunca foi preciso falarmos nesse dia, detalhadamente, pois sabemos como ambos o vivemos intensamente. E tão puro! Tudo tão puro e descontraído como é o nosso amor e como foi o nosso laço!
Mas conta-me como foi, conta-me qual a sensação de me perderes por umas horas para depois me teres junt...

THE BEST IS YET TO COME
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
November 27, 2018
Ericeira, Portugal

Alma. A minha alma perdida e esquecida de mim. A minha alma que ficou perdida e não sabe de ninguém, nem onde vai dar aquela estrada além! Não sei de nada nem tão pouco da minha alma. Desconcertante mas realista e a minha alma a assistir à morte do artista. Alma sem sombra, Vento sem pó, nuvens transparentes, água de terra, alucinações de uma alma gasta e cansada de tanto sofrer e de se saber tão forte e inquebrável!

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1543284957
THE BEST IS YET TO COME
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
November 27, 2018
Ericeira, Portugal

Hoje vou falar das sombras que se encontram pelo mar. Hoje quero falar na força que as ondas têm e podem ter. As ondas podemos ser nós e podem estar em nós. Lembro-me de uma onda que trouxe a nossa sombra, os dois juntos, e era só a nossa sombra, nada mais em redor... e era o nosso amor e a nossa sombra e aquela onda. E a nossa sombra perfeita. E a nossa alma à espreita. E um pôr-do-sol que se deita, uma praia ao entardecer. Nós ali sem estarmos e a praia a mandar-nos estar ali. E não é que estávamos? E não é que estivemos? E não é que a fotografia apanhou? E é assim o nosso amor..levado com esta e com todas as ondas, a nossa sombra vai e o nosso brilho fica para alumiar a noite.. e juntos, s...

THE BEST IS YET TO COME
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
November 26, 2018
Ericeira, Portugal

O amor cresce nas árvores,cresce no verde primeiro, depois em nós. O amor cresce de dentro para fora e não de fora para dentro... o amor cresce nas árvores e cada dia é quase uma dezena de anos numa árvore, por isso é que as árvores são centenárias e nós não... aguentam o amor de tudo e de todos, vivem mais não sei quantas vidas e o ofício delas é única e exclusivamente este - receber amor para transpirar amor e assim propagar amor por aí, pelos demais corações que por vezes andam com falta de orientação e não se sabem guiar pelas coordenadas nem pelos sinais. O amor cresce nas árvores. E quem ama e planta uma árvore?! É com que intuito?! Uma árvore cresce sem pedir, mas um amor fazer crescer...

HAPPY THANKSGIVING 2018
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
November 25, 2018
Ericeira, Portugal

O nosso lar é dentro de nós, não pode ser em mais qualquer um outro lufar que não seja dentro de nós. O nosso lugar é cá dentro. O lugar de cada um é sempre dentro de cada um e é dentro de cada um que encontramos o nosso lar, o nosso verdadeiro lar, o nosso verdadeiro eu, a nossa verdadeira morada, a nossa identidade, a nossa casa. Nós somos a nossa casa. Se não fossemos, que seria de nós?! Quem seríamos, então, nós, para viver? Com que legitimidade viveríamos? Estranha dicotomia, difícil aceitação ... mas o lar mora cá dentro e não é com empréstimos, nem remodelações que os alicerces se sustentam, mas com aquilo que há para dar...e o que está cá dentro conta muito mais do que o que está lá f...

HAPPY THANKSGIVING 2018
Thumb_1482720584
PO#496741
0
0
November 25, 2018
Ericeira, Portugal

Pensamentos mirambolantes
Anéis tão familiares
Bateres de coração apressados
Momentos eternos e calados
Tempo que voa sem darmos conta
Para os outros pensas que és boa e afinal és tonta
Porque te esqueceste de cuidar de ti
E de repente nem te deste conta
Porque o tempo passa a correr
Nenhum olho que vê o consegue ver
A não seres tu
Nos passos que dás
Na tua vida
Olhas para ela
E passou de gás
Mas tu vês a saída
E vais
Depressa
Ou sorrateiro
Mas só de meias
Para que no degrau acima
Te possas calçar
E assim o futuro
Consigas alcançar

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1543116678
ORIGINAL
Thumb_1482720584
PO#496741
0
0
November 24, 2018
Ericeira, Portugal

Explosão no céu
Inversão de marcha
Estradas mal iluminadas
Estrelas dispersas
Nevoeiro sem deixar ver
Olhos que a terra há-de comer
Tragédias a acontecer
Tanta gente a morrer
De carro e por aí
Quando só querem viver
Aqui nesta vida com fim
Vida de ápice e de prego a fundo
Se parares não serás dono do mundo
Erupção
Câmara lenta
Capacidade atenta
Luzes fuscas
Stress acumulado
Um querer impossibilitado
Os quatro piscas ligados
Os peitos angustiados
E gritos engolidos
Corpos chorados
Cheiro a gente inconsciente
De tanta maldade... Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1543103552
HAPPY THANKSGIVING 2018
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
November 24, 2018
São Martinho do Bispo, Portugal

Sou grata. Grata por me ter casado este ano, com o homem com que pensei perdido toda a vida. E grata por ter feito, a par com ele, e de mãos dadas, a viagem mais incrível de sempre, a Bali, que rica terra e povo, não em riqueza material mas em riqueza espiritual. Ficános gratos, rezámos, viemos de lá a respeitar a religião e trazendo memórias e traços eternos de lá.
Gratidão, é o que se deve ter todos os dias da nossa vida.

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1543023407
HAPPY THANKSGIVING 2018
Thumb_1482720584
PO#496741
2
0
November 20, 2018
Mealhada, Portugal

Hoje é dia de acordar cedo com o cheiro a comida... é dia de tomar um pequeno-almoço digno de pequeno-almoço e de beber um sumo natura de laranja doce, daquela tão doce que nem precisa de açúcar; e, se precisar, só açúcar amarelo... dizem que faz melhor e eu até concordo... logo, faço o que acho melhor...
Hoje é dia de acordar com os olhos inchados e papudos porque ontem virámos duas ou três garrafas de vinho, sem querer...
Hoje é dia de saber que não há mais para fazer do que o nós que é tão importante e cada vez mais é, cada vez mais. Sabemo-lo nós porquê.
Hoje é dia que mesmo que chova, cheira a praia, a maresia e aos pontos verdes que saem das fotografias que tiramos pagãos lados do mar...

HAPPY THANKSGIVING 2018
Thumb_1482720584
PO#496741
2
0
November 19, 2018
São Martinho do Bispo, Portugal

Ela olhou à sua volta e apenas sentiu o cheiro à vida, parecia vindo de um túnel muito estreito e quase camuflado. Não sentiu o toque, apenas o cheiro. O cheiro que ela sentia todos os dias daquelas dias monótonos que se passavam pelos minutos que se contavam e não passavam de uma vida de merda, aquela vida que toda a gente quem mas só a tem que para além de lhe sentir o cheiro sente também o tacto.. e o tacto à vida tem outro sabor, outro cheiro, outra sinfonia. De repente o cheiro passa a toque e tudo soa a musicalidade. Tal é o eco do toque taque do passar do tempo do relógio que não pára. Mas um dia, a vida há-de parar.. e o relógio não, esse há-de continuar...
As lágrimas encheram-lhe os...

STAN LEE
Thumb_1482720584
PO#496741
0
0
November 18, 2018
Porto, Portugal

Vai e come
Dá uma dentada
Sente o quão estaladiça
Sente o quão crocante
Percebe como vai num instante
Quentinha e acabada de fazer
Bela pizza com ingredientes sublimes
E aqui estamos nós rendidos à degustação
Não à fome que persegue o mundo inteiro
Àquela pizza que parou de um momento a um segundo
Da fome e da miséria que seria
Não dar uma dentada naquela pizza
Que quase se ria a olhar para nós
E comemo-la como quem come prazer
E assim foi até ao entardecer
E vimos o pôr-do-sol através do vidro
Estávamos citados para o mar
Cheirava a maresia
E aquela pizza com sabor a camarão
Nem sabe o que nos trazia
Pois punha-nos no mar, então

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1542502507
STAN LEE
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
November 13, 2018
Mealhada, Portugal

Terra e mar
Segredos por encontrar
Só nós os sabemos
Fechámo-los a sete chaves
Perdemo-las porque ficaram aqui
Entre nós e ficaram para mim e para ti
Tardes solarengas de mar
Tardes frias e chuvosas na natureza
Somos feitos de terra e mar
Colhemos os dois o que nos fez ficar
Com este verde imenso, este cheiro a maresia
Não há nada que pague o tempo e a nossa alegria
Alegria de nos sabermos nossos e de sermos o par
Com este verde e este mar toda a vida
Somos plantas, somos búzios pelo mundo
Um na água e outro na terra
Nem por isso deixamos de dar a mão por um segundo
Sabemos estar onde o outro está
Não pensar naquilo que nos leva daqui
E assim deixamo-nos ficar um junto do outr...

ORIGINAL
Thumb_1482720584
PO#496741
4
0
November 12, 2018
Mealhada, Portugal

E passas sorrateiro pelas nuvens, sem levantar poeira, nem que seja a estelar. E passas sorrateiro, e continuas a passar, com as turbinas elegantes e esvoaçantes que fazem das nuvens algodão doce e terra firme mas fofa de se andar. E passas entre as nuvens, não lhes destróis as figuras criadas por elas, pela nossa imaginação. Hoje passaste como que uma pena. E nós sentimo-nos como uma pena, ali, não entre as estrelas mas entre as nuvens que são feitas de sonhos de sonhar, e pelos vistos também sabem a algodão doce... doces e suaves... desfazem-se no ar, desfazem-se na boca... e passa, sorrateiramente para não as desfazer...
Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1541985981
ORIGINAL
Thumb_1482720584
PO#496741
3
0
November 9, 2018
Mealhada, Portugal

E onde é que vou buscar a força?! A ti! Ao que tu és para mim, ao que significas, ao que eras e ao bem eterno que te tornaste na minha vida e que, na verdade, sempre foste. E onde vou buscar a vontade? A ti! Àquela confiança que sempre me deste para continuar a superar obstáculos, lembras-te?! Eu lembro-me de me dizeres que eu era forte! E era, e sou... tal como tu!
E onde vou buscar os sonhos?! Aos que me deixaste por mim! Às letras, às frases, aos poemas ou aos “dizeres”, como lhes chamavas. Tudo o que era escrito para ti era bonito e sentido, dizias tu. E era. E continua a ser.. só porque a minha força vem de ti e de como me ensinaste a ser.

Vanessa Cardui
(In “Ao Nunum”)

Thumb_letter_signature_1541776257
WRITE YOUR OWN STORY
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
November 8, 2018
Mealhada, Portugal

Photochallenge

E pego-te como se fosses verde, como aquela água. E pego-te com delicadeza e espero que os cinco traços vincados que tens em ti não sejam rígidos o suficiente para aguentarem o teu aspecto chocante, e fazerem-te abri ao meio, ou de lado, ou em pedaços. Pego-te com medo que o vento me leve de ti... no momento em que te deixar ir. Esta verde e apetecível a água, é certo, mas está frio e uma tarde de inverno e em ti vejo um verde diferente e é em ti que quero pegar; não para te partir ou para te arrumar mas para te proteger dos estilhaços que podes encontrar em ti, pelo caminho.
Não caias na água, podes ficar ainda mais dura e despedaçares-te sem necessidade de te desfragmentar...

WRITE YOUR OWN STORY
Thumb_1482720584
PO#496741
2
0
November 6, 2018
Mealhada, Portugal

O chorar. O chorar para libertar a alma. O chorar para se ter a certeza de que estamos vivos. O chorar para limpar a sujidade da alma, da vida. O chorar que purifica e nos torna mais fortes. O chorar quando estamos sozinhos em que sabemos fazê-lo com peso e medida. Libertar o choro que trancamos em adversas situações, é o maior alívio que podemos ter! E essa libertação só nós mesmos é que a podemos executar, sozinhas, com a nossa paz interior e com aquilo que trazemos em nós com valor...

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1541540592
WRITE YOUR OWN STORY
Thumb_1482720584
PO#496741
2
0
September 12, 2018
Coimbra, Portugal

Cardumes de tubarões desencontrados
Cardumes de peixes pequenos que fogem angustiados
Tanto mar e tantos grupos sem esconderijos suficientes
Apenas instintos de sobrevivência aí latentes
Um mar espirituoso por fora mas amargurado por dentro
Nas suas profundezas enfrentam medos severos
E o grande para o pequeno é como uma fera
Que abre a boca não para comer
Mas apenas para sobreviver
Somos da terra e pisamo-la firme
Não imaginamos o que a profundeza do oceano atinge

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1536719634
NEVER FORGET
Thumb_1482720584
PO#496741
0
0
September 12, 2018
Coimbra, Portugal

Mistake. Foi um grande mistake. Um erro gigante em trinta em tal anos, o pensar de que nunca teria o sonho de casar. Agora dou o braço a torcer. Porque afinal quero casar. Quero porque afinal existe o homem da minha vida; aquele que me faz querer casar. Aquele que me curou da infelicidade de imaginar que neste mundo houvesse alguém que pudesse compactuar com a quantidade de emoções e sensações que de mim emanam; e consegui encontrar; apesar de me terem parecido sempre e cada vez mais escassas as possibilidades de isso acontecer. Pois bem, vou casar e a verdade é que já pedi para me varrerem os pés para não casar ; já disse milhões de vezes que nunca me iria casar. Mistake. Nunca é o maior “mi...

NEVER FORGET
Thumb_1482720584
PO#496741
0
0
September 5, 2018
Coimbra, Portugal

E tu vais. Vais de vez. Atiras-te não para o abismo mas para o que é decerto melhor para a tua vida! Tu sabes que é um passo importante e vais dá-lo porque é o que o teu coração pede; o que a tua intuição manda; o que o teu futuro deseja... e vais e não te importas se há gaivotas no ar ou se vem aí tempestade. Queres ir, queres arriscar numa viagem que nunca fizeste na vidas; mas a que mais desejas acima de tudo .

Vanessa Cardui

GREAT THINGS
Thumb_1482720584
PO#496741
2
0
August 30, 2018
Coimbra, Portugal

Juntos estamos nesta aventura
Coisa nunca pensada é tão pura
Deliciosa e conto de fadas
Com tantos abraços e mãos dadas
Juntos vamos para todo o lado
Juntos só temos duas mãos
Juntos só temos uma cabeça
Juntos só temos duas pernas

Thumb_letter_signature_1535595150
MAKE IDEAS HAPPEN
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
August 29, 2018
Coimbra, Portugal

E estás sob um pedestal basílica
Milagre quase brotado da natureza
Rosários ali e dezenas de terços acolá
Fé e humildade apenas e só na oração
Pena que a vida não se aprenda apenas com esta lição
Basílica real e em que passo por ela
Aprecio-a; quase sem caber no diafragma da minha lente
Fico embevecida e vejo como é bela
Como faz chorar de tão bela ser
Respeito
A palavra respeito
A primeira a surgir
Depois a emoção
Que começa a fluir
E o meu coração
A mirrar e a apertar
E eu ali, firme a controlar
A saber digerir a última vez
Estive ali contigo
Estivemos ali contigo
E tu estiveste e só não disseste olá
Estavas concentrado em ver-me
Em me abençoar a mim e aos meus
A cuidar c...

MAKE IDEAS HAPPEN
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
August 2, 2018
Coimbra, Portugal

E é agradecer
Agradecer ao sol
Ao sol que a vida nos dá
E nos tira com a noite que cai
E nos fala como a brisa que sai
De dentro de nós por querer tanto ser
E querer, querer tanto agradecer
Sagrados dias de sol até ao anoitecer
Lavar e purificar a alma sem perceber
Levitar sem saber ler nem escrever
Fazer acontecer e viver e agradecer
Agradecer ao sol e à terra por ser digna de ser
E se vivo de corpo e alma , é mesmo para viver
E agradecer aos dias de sol que me fazem renascer

Vanessa Cardui
(In “Poesias (De)Vidas”)

Thumb_letter_signature_1533170899
SAY HELLO TO SUMMER
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
July 25, 2018
Coimbra, Portugal

O amor não estava mais ao seu alcance. Aquela rosa caída significava o fim mesmo que tivesse todas as pétalas ... teria acabado o seu cheiro, o seu toque aveludado, o brilho, a sintonia, a essência ..tudo ...
E ali acabou... uma história de amor e uma rosa caída... um fim que não há bem me quer nem mal me quer que mude as coisas de cenário.

Vanessa Cardui

Thumb_letter_signature_1532483412
STARS CAN'T SHINE WITHOUT DARKNESS
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0
July 20, 2018
Coimbra, Portugal

Gostava de ser piano. Acordar piano. Ser eu, as teclas e mais ninguém... ao som de

Por publicar no blog e no lettrs
Uma espécie de metáfora
Os dedos perdidos no piano
Que com um treino se encontram
E que melodia boa que sai debaixo do pano
Que paz que se instala agora
Os dedos deambulam pelo piano afora
E eu calma e serena deste lado
Como se a calma fosse uma pena leve
E a melodia um instante tão breve
Toco no presente e não no passado
Piano que estimo e que está do meu lado
Dedos que tocam sem sequer cantar
E eu aqui a deixar as minhas mãos tocar
E a deixar que o tempo me continue a embalar
Tal e qual um louva-a-deus que gosta de vaguear
Eu gosto de ouvir paz , de ouvir toca...

SAY HELLO TO SUMMER
Thumb_1482720584
PO#496741
1
0